Apresentação das coleções

A implementação da ação de extensão “Museologia na UFRGS: trajetórias e memórias” exigiu da equipe debates sobre a definição das coleções e gestão do acervo. Ressaltamos que dois projetos universitários nos inspiraram como modelos norteadores: o Núcleo de Memória da Museologia no Brasil (NUMMUS) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), por proximidade do objeto de estudo, e o Centro de Memória do Esporte (CEME) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por afinidades metodológicas.

O projeto “Museologia na UFRGS: trajetórias e memórias” se caracteriza como uma iniciativa de gestão de acervo universitário, um estudo piloto para os debates museais de diversas disciplinas a partir do uso do repositório digital Tainacan, ferramenta de código aberto voltada para a gestão de repositórios digitais desenvolvido pelo laboratório Media Lab da Universidade Federal de Goiás (UFG) em parceira com Ministério da Cultura (MinC) e do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). Para compreender a dimensão do acervo sobre a Museologia na UFRGS foram concebidos sete eixos de trabalho:

– Coleção Institucional: estabelece correlação com sistemas da UFRGS que salvaguardam a documentação oficial produzida na fase de planejamento, implantação e desenvolvimento do Curso;

Coleção Ensino: compreende o patrimônio e práticas educativas, mapeando atividades de ensino constituídas no decorrer do Curso;

Coleção Exposições Curriculares: preserva indícios vinculados às duas disciplinas obrigatórias de criação, desenvolvimento e execução de uma exposição curricular: BIB03215. Projeto de Curadoria Expográfica e BIB03217. Prática de Exposições Museológicas;

– Coleção Pesquisa e Extensão: registra ações, projetos e programas de extensão e pesquisa vinculados à Museologia;

– Coleção Eventos: reúne eventos produzidos ou com parceria de representação discente, docente e técnico-administrativa vinculada ao Curso;

– Coleção Saída de Campo: recolhe registros das vivências promovidas pelas saídas de campo realizadas;

– Coleção Itinerários: registra entrevistas com agentes que possuem relação com o desenvolvimento da Museologia na UFRGS.

Propomos um processo colaborativo das coleções concebidas, com contribuição de registros, reconhecimento dos vestígios e inclusão de informações que preservem as trajetórias e memórias do Curso.